quinta-feira, 5 de julho de 2007

O helicóptero do Britto

Na época da campanha política de 2002 (é amigos, eu já usei drogas muito mais pesadas do que vocês imaginam: Rigotto, Odacir Klein, Mauro Dorfman, Laura Scklowsky... ufa! que bom que consegui parar.), os cabeças do PMDB contavam uma história ilustrativa sobre o caráter do futuro presidente do Grêmio.

Dia de chuva, o candidato líder nas pesquisas ia de helicóptero visitar uma cidadezinha do interior. O local do pouso seria um campinho de futebol, já cercado de eleitores desde cedo.

Ao ver o helicóptero descendo, o barro subindo e aquela pobre gente abanando e aplaudindo, o então governador não teve dúvidas.

- Vamos embora - disse para o piloto, que subiu de volta.

O povo ficou lá, molhado e coberto de barro, sem entender xongas.

É esse carisma que Paulo Odone e outros políticos metidos no Grêmio querem colocar à frente de uma das instituições mais bacanas do Estado. Alás, o Britto virou conselheiro em 2006, indicado pelo Cacalo, outro presidente de pouca expressão na nossa história. Com certeza, o futuro presidente virou conselheiro muito menos por mérito ou sentimento gremista do que por puxação de saco e fazeção de média.

11 anos depois, ele vai ser presidente. Com um pouco de azar, traz a corja de safados com ele: Berfran, Busatto, Proença e mais 37 ladrões.

E ninguém consulta os sócios, porque se consultarem, o cara não se elege nem pra porteiro do Olímpico.

Pra mim, ele vai usar o Grêmio que nem o Odone, pra voltar a ter projeção política. Ou alguém duvida que se dependesse da sua atuação política do nosso atual presidente ele teria sido eleito deputado? Que nada, ele ia passar o resto da vida vereador - talvez suplente.

Pelo menos o Odone fez um baita trabalho no Grêmio. E fez por ser bagaceiro, por gostar do tricolor e da torcida. Britto odeia gente. Com certeza, isso inclui a gente também.

No meu caso, é recíproco.

5 comentários:

daniel disse...

Caramba, o cara é mais grosso do que eu imaginava.

Depois aparece por aí choramingando suas derrotas, tsc, tsc.

Claudia Tajes disse...

Ouvi agora na Gaúcha. Ele deve ser eleito por aclamação.

Snel disse...

O melhor que temos a fazer é torcer pra que ele faça um bom trabalho, o que acho dificil...

TiagoR disse...

Torcer nada! A gente tem é que fundar um movimento, carta aberta à imprensa, lista de assinaturas!
To falando sério!

Eduardo disse...

To com o Tiago. A gente é gremista. Não aceita as coisas que se impõem a nós calados. A gente briga, perde quatro jogadores, chuta o juíz, cava com as unhas a marca do pênalty e ainda faz um gol pra calar a boca de todo mundo. Depois dos Aflitos, passei a ter pelo Grêmio mais amor e confiança ainda. Não podemos deixar que tomem as decisões por nós, quando sabemos que estamos certos. VAMOS MASSA. VAMOS VOTAR CONTRA. BRITTO NÃO!!!