quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Investidores? Solução? Lavagem? – O Grêmio em 2011 e as velhas preocupações

Por Fagner dos Santos

Sei que as atenções do grupo estão fortemente voltadas ao final do Brasileiro, no Goiás, no Bugre e no Botafogo. Mas, como não somos jogadores, podemos apoiar o time nos jogos e, na saída do estádio, pensar no futuro. E olha que esse está dando o que pensar.

Em nome do foco, nenhum jogador está sendo especulado e nenhum contrato renovado. A torcida, ou quase toda ela, não começou movimentos por algum atleta de fora. Pararam as “vazadas” – não porque a imprensa deu uma folga, mas porque a direção fez questão de dizer que, no planejamento, o próximo passo era o Rodrigo Caetano. Como este não veio, a especulação sobre o nome do profissional da função acabou virando o alvo daqueles que precisam tanto encher as páginas dos jornalecos por aí.

O melhor para nós é que esse episódio passou a ser um belo dum boi de piranha. Que, diga-se, está atraindo muitas. A direção bate pé por um novo Gerente de futebol, que o Renato diz que não precisa. Já tem jornalero aí dizendo que isso indica atritos. Não chego a discordar e, para azar da direção, fico com o Renato: o Cícero Souza ganha bem menos que o próximo “profissional” e, se é só para ter alguém para trocar uma ideia, melhor ficar como está. Na prática, o gerente de futebol tem que aprender com o Renato como garimpar esse pessoal que ele trouxe e cuidar para que o time não perca esses caras de barbada por força de um contrato mal feito. E isso o atual parece saber fazer.

O que me leva a ficar preocupado é a justificativa de Paulo Odone Ribeiro sobre a discordância com relação ao ponto de vist do Renato: Cícero Souza não seria o cara para pensar o futebol em um futuro distante, nem para fazer contato pelas famosas “parcerias” para busca de investidores (http://grem.io/2P6). Investidores? Desculpem aqueles que acreditam em “modernidades”, mas isso me lembra soluções estapafúrdias, lavagem de dinheiro – ou seja, I.S.L.

Esse perfil de investidor que comanda os clubes brasileiros (afinal, temos no Dilmão ‘10, em primeiro lugar, a Unimed, em segundo o BMG e, em terceiro, também o BMG) é realmente o mais adequado ao tricolor? Abrir as portas ao TRAFFICo de influências é solução? O Rodrigo Caetano tem, a meu ver, um grave defeito – visto como virtude pelos futuros diretores – é muito, mas muito influenciado por Carlos Leite (o mesmo que levou o Lucas e o Anderson para a Europa). Um dos motivos para a contratação do Rafael Carioca pelo Vasco.

Acho que o tricolor como está pode ser melhor do que o modelo que está sendo “tramado”. A grama do vizinho, cortada aos sabores do senhor Delcir Sonda, o quase dono do Santos, não é mais verde do que a nossa. E esse modelo “vencedor” não tem garantias de longo prazo. Para não esquecer: o time da Traffic, a parceria mais cotada pelo futuro presidente, acabou de ser eliminado pelo Goiás.

Qual é o perfil que queremos para o Grêmio? O time de um empresário (o que, afinal de contas, era um pouco o tricolor de Carlos Eduardo, Anderson, Lucas, Mano Menezes...), onde nem sempre o melhor é o contratado, ou um time independente que contrata pelo futebol? Fazer das tripas coração para contratar o que der no dinheiro ou contar com as benesses de um turbo das finanças despejando dólares em perfis de idade padrão exportação?

Por um lado, um investidor não daria dinheiro para contratar um cara em fim de carreira que poderia ser um investimento de risco, ficando mais machucado do que jogando. De outro, não teríamos contratado o Gabriel, nem o Clementino, velhos demais para o perfil de exportação. Acho que é hora de pensar isso. E tomar todo o cuidado. O futuro tem que ser mais azul do que preto.

6 comentários:

Carolina disse...

Fagner, excelentes considerações!

Espero que nossos queridos Conselheirosdiscutam essa pauta nas reuniões, se isso for de sua alçada, claro!

Arthur disse...

Um investidor também não contrataria um time inteiro, Minwer. Um investidor pode ajudar na permanência do Jonas, por exemplo.

Vale lembrar o exemplo dos símios: não foi um investidor que contratou D'alessandro, kleber, etc?

Então, um investidor pode ajudar sim, desde que seja mantida a independência do dep. de futebol.

E sinceramente, não vejo no R. Caetano esse "deus" todo aí. Até parece que o Vasco tem um time bom.

Cícero tá mandando bem, deveria seguir como está.

..... disse...

Arthur,

o caso do vizinho, foi o mesmo investidor que tem mais de meio time. O cara que, segundo eles, fez o time perder o campeonato de 2009 ao vender o Nilmar para a europa. O mesmo que fez terrorismo por seis meses de para onde o Kleber ia. Aí, para sossegar o "parceiro", só comprando de volta a parte dele, se ele aceitar.

Para mim, a parceria não pode ser com um parceiro apenas, se não fica dependente. O negócio do parceiro é sempre o mesmo: colocar dinheiro numa jovem promessa e ganhar muito na sua venda. Mas é algo que tem que se pensar bem. E, ao que me parece, a nova direção está colocando isso como se fosse a salvação da lavoura, algo obrigatório. E não acho que seja, isso é solução para curto prazo. Prefiro que o tricolor possa ganhar uma boa grana com uma revelação da base que seja 80% sua, no mínimo. Nunca esquecendo que foi na gestão do Odone que se fez o "negocião" de trocar 20% do passe do Anderson (que tinha ficado para futuras transferências na negociação da saída dele) por 50% do passe do Léo Lima - o que fez com que o nosso time jogasse pela janela 6,6 milhões de euros.

E para fechar as comparações entre os times, prefiro dar o meu estádio para uma construtora desfrutar por vinte anos do que correr risco de perder o melhor jogador da Libertadores por merreca por ser atleta de um parceiro. Só o futebol é o que dá dinheiro no futebol.

Saludos,
Fagner

betobuss disse...

Fala Fagner e galera do blog,

Vejo muito se falar em contratações e parcerias... Aí paro e penso: "precisamos de jogadores para quais funções mesmo??"
Hoje, vejo duas... e so! Não temos um lateral esquerdo confiável, Fabio Santos só esta jogando para renovar contrato e não temos um reserva para o Douglas.. de resto, temos jogadores para TODAS as posições!
Então vejamos:
Goleiros:
Victor
Marcelo Grohe
Busatto
* estamos bem, muito acima da média do país, até nos reservas, Berna, goleiro do campeão Brasileiro não é melhor que nenhum desses e olha que não gosto do Grohe!

Lateral direito
Gabriel
Edilson (não gosto)
Spessato (ta na hora de subir e ver se serve)
* além da renovação do Gabriel, talvez aqui devemos agir pq os outros dois estão com o joelho estourado

Zagueiros
Paulão
Mario Fernandes (q faz as vezes de lateral)
Vilson
Neuton
Rafael Marques
Saimon
* Ainda tem o Gerson, ótimo zagueiro na base. estamos na média do Brasil, se troxesse alguem, um argentino pra entregar a 4...

Lateral Esquerdo
Fabio Santos (tchau!)
Bruno Collaço (pode jogar gauchão e só)
Gilson (bom reserva apoiador)
Lucio (virou meia)
* aqui sim.. precisamos de um lateral! o problema é, quem??? Ou tenta buscar alguem na Europa (Fabio Aurelio ou Gerson Magrão) ou traz interno, o mercado ta fraco, gosto do Egídio do Vitória

Volantes
Adilson (gastando a bola)
Roca (gastando a bola)
Ferdinando (pode ser reserva)
Matheus Magro (bom volante da base)
W. Magrão
* estamos acima da média do Brasil.. temos ótimos volantes

Meias
Fernando
Mailson (tem que aproveitar e vender)
Douglas
Souza
Leandro (pior custo/benefício do mundo)
Pessali (vai ser craque)
* precisamos um meia canhoto... acho Aimar caro e com muita grife e pouca bola, tal e qual o chorão lá do aterro, (tentaria trazer Romagnoli, ex-San Lorenzo de almagro)ou Jadson, que jogar no shaktar da ucrania

Atacantes
Jonas
A. Lima
Borges
Viçosa
Wesley (ótimo centrovas da base)
Clementino
* se for pra Libertadores precisamos de um reserva pro Jonas.. Salgueiro, uruguaio da LDU, Diogo, bom jogador que não deu certo no Flamengo (e quem da certo lá??) ou algum outro rápido de boa conclusão...

De jogadores acessíveis que jogaram esse brasileirão, gosto do Wallace e do Elkesson do Vitória (acho que o leandro se encaixaria nessa troca), Rafael Tolói do Goias, Caio do Avaí (apesar de não gostar de jogador miudo), Patric, ala direita do mesmo Avaí...

Quem mais Fagner??

Abraços!

Enfim, não precisamos de muita gente, não tem pq terceirizar o futebol e ter que ficar aguentando umas nabas do "parceiro"

..... disse...

Fala Beto,

minha análise não é muito diferente da tua. Embora não ache que o Fábio Santos é tão ruim assim, acho que o Grêmio precisa de um meia direita para parar de improvisar o Lúcio. E mais um meia esquerda para opção do Douglas. Acho que ele é o lateral esquerdo titular no ano que vem, e qualquer um dos outros dois pode ser o reserva.

Na defesa, não acho que o Grêmio precise ficar com o Vilson. Pode ser Paulão, Rafa Marques, Màrio, Neuton e Saimon. Atacante é completamente desnecessário. E, se precisar fazer dinheiro, acho que dá até para vender o Jonas, embora eu não goste da ideia.

Em resumo, sem parceiros mesmo, precisamos apenas de uns dois meias. E aí confio no Renato como maior parceiro do tricolor para pegar alguém da segundona. Não acho que o tricolor precise investir horrores em jogadores estrangeiros. Acho que o Willian do genério prudente é um bom nome. E o Tcheco também encaixaria bem, invertendo o lado esquerdo para a direita no ano que vem. E só.

Saludos,
Fagner

Um por Todos disse...

Dae Fagner,
Na real concordo com 99% do que tu falou, lembrando apenas que não é necessário uma política 100% fechada nem um casamento de comunhão universal de bens. Eventualmente o Grêmio pode estar aberto para uma ou outra contratação que nos seja favorável. Também sou contra aquela política de que "empresário aqui não entra". Acho também que temos uma boa base de time para 2011 e principalmente um comandante muito bom e em sintonia com a torcida.

Abração,
Mosqueteiro.