sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Trabalho, trabalho e mais trabalho...

Nada pode ser mais vergonhoso que o DISCURSINHO batido, nas entrevistas pós-jogo do que a expressão: Temos que trabalhar. Ma porco Dio, não trabalharam até agora? Tão fazendo o quê?

Renato, coitado, aos quinze minutos do primeiro tempo viu o tamanho da BRONCA que vai ter de encarar. Praticamente tem que INVENTAR um time com aqueles PELEBRÉS que a diretoria arranjou. Fora os que literalmente DESAPRENDERAM a jogar. E tem também os que NUNCA souebram jogar, Fábio Santos, Edílson, Marcelo Grohe... Só pra citar TRÊS exemplos.

O trabalho de Renato, impreterivelmente, começa na defesa. URGE uma reorganização e, ainda mais, uma troca de jogadores do setor. É necessário um zagueiro experiente, pra juntar aos jovens e liderá-los. E é ainda mais evidente a necessidade de um LÍDER dentro de campo, um cara que chame a responsabilidade pra si, coloque a braçadeira como se fosse nascido pra isso e comande o time de volta ao prumo. E esse cidadão não pode ser o Victor, desculpa, muralha, mas tu não tens liderança e nem caráter de líder. Mas continuas sendo um GRANDE goleiro.

Portanto, lá vou eu bater na MESMA & BATIDA (rá) tecla: precisamos dum NUMBER 5, o cara do MAU, EVIL, bandido e sujo (isso são predicados importantíssimos), que chegue ao Olímpico, chute a porta do bestiário (sim, é proposital o B pelo V) e lidere aquele bovinos dentro do brete que é o gramado.

Oremos!

6 comentários:

Alexandre disse...

Concordo com a sua colocação. Quanto ao Renato, considero ele o maior e mais importante jogador da história do tricolor, porém creio que a escolha dele para treinador não foi acertada para o momento que o tricolor vive. Acho que o nome certo para o momento seria o Mário Sérgio, sim é tremendo mau-caráter, mas é mais bandido que o Renato, e tem mais comando de vestiário. Quanto ao camisa 5 também concordo, falta essa peça mesmo, pra distribuir botinadas nos adversários, jogar com os brios desses bunda-moles que estão envergando a camisa do tricolor. E enfim mandar embora uma meia duzia que não quer nada como o jogo e trazer uns 3 que supram as necessidades do time! Falta muita coisa, a situação é pior que 2004, a hora de reagir é agora. Talvez só o boçal do Duda não tenha se dado conta disso. Se o tricolor for rebaixado de novo não terá perdão para a diretoria amadora, vão tomar uma coça de laço!

cau disse...

eu, particularmente, queria o uruguaio Diego Lugano.

em que pese ele ter uma admiração, um carinho e identificação com o São Paulo, ele nunca jogou no Grêmio.

e o Grêmio é um time feito pra o tipo de jogador que ele é.

e ele é o tipo de jogador que o Grêmio precisa.

quase que pra não fechar as portas.

o/

nirmal disse...

o 5 chama-se Santiago Ostolazza e é do Racing Club de Montevidéu... é moleque ainda,porém catimbeiro como todo uruguaio.zagueiro ñ me vem nenhum no momento, agora o 10, q tal o Diego de Souza do Defensor? abçs.
obs:temos q ajudar essa infeliz diretoria a encontrar jogadores, pois parece q eles ñ possuem iniciativa e informações.

Snel disse...

Nirmal, esse é bom. Inclusive, no último programa do Vidarte que participei, estava o Dr. Irany, vice de finanças do Grêmio, e passei o nome do Ostolazza pra ele. Agora, o que acontenceu com o nome, eu não sei. Curto o futebol dele.

nirmal disse...

continue tentando parceiro Snel... daqui de longe (Bsb) ñ esse acesso.. temos q formar um time c/a cara de GRÊMIO ñ de morangos. abçs

André Scheid disse...

O Duda é uma versão mais afrescalhada do Obino! Com tanta veadagem nos discursos não tem como sair dessa situação. Precisamos mesmo de um mau-carater no time. Alguém saído diretamente da galeria "c" do Presidio Central. Esse tem que ser o nosso camisa 5. E o Renato? Coitado do mestre. Tá com um time de frouxos.