terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Na mão grande, eis a camisa tricolor

Eis que surge um primeir desenho, já com a marca da nova fornecedora de material esportivo, a Topper. Bueno, HÁ DE SE RESSALTAR, que isso é um rafe, um desenho, feito por algum torcedor. Mas confesso, se é isso, eu quero. Ainda sobre a Topper, convém lembrar do excelente trabalho conduzido por ela com o Estudiantes e com o Newel's Old Boys.

Portanto, podem parar com essa gritaria toda, que Puma isso, que Topper aquilo. Quando fecharam com a Puma foi uma festa só e depois azedou o esquema. Agora já tão AGOURANDO com a Topper? Pôxa, esperem pelo menos pra ver qual vai ser!

6 comentários:

Pablo disse...

Eu não tenho muito preconceito contra a Topper, pelo contrário, acho que essas marcas menores produzem material de qualidade por um preço mais acessível, pois se paga absurdos por camisas que descosturam muito rapidamente (com a PUMA). Mas acho que a Topper ainda não tem o reconhecimento necessário para tratar uma marca como o Grêmio. E distribuição? E divulgação? Sinceramente, acho que a marca mais adequada para o Grêmio seria a Nike - ótima visibilidade e material de alta qualidade. Eu tenho uma camiseta da seleção de 2006, ainda a uso e está praticamente nova. Mas, cadum é cadum, pior do que a qualidade da Puma não pode ser. Contanto que barateie um pouco o custo, pra mim tá bom.

luis disse...

GOSTEI MUITO DESTA OK .

Thiago disse...

Esta camiseta surgiu no twitter. A Ju de Brito retuitou o cara. O usuário do twitter original é um tal de @lauryjr. Acho que a camiseta final da Topper não vai ser nem perto disso. Os desenhos feitos pelos torcedores-photoshop antes do lançamento nunca ficam parecidos com o manto final. Mas vamos aguardar pra ver.

..... disse...

Eu considero que existe uma sacanagem muito grande nessa coisa toda que foi o contrato com a Filon. Podia ser a Dalebra, a Dal Ponte, ou o que quer que fosse, mas gostaria que a palavra final sobre a qual marca associar o escudo do tricolor fosse do próprio Grêmio. A troca por parte da Filon deveria caracterizar quebra de contrato. Não que marca ganhe título (o nosso time foi multicampeão com a Penalty), mas pode ser uma saída mais inteligente para casos de contratar jogadores. Um exemplo claro: será que o Ronaldinho aceitaria ser contratado como garoto propaganda da Topper ou da Adidas? Esse tipo de negociação deveria ser feito entre o clube e a fornecedora de material, e não com terceiras partes.

Outro ponto que o Minwer destacou indiretamente: quando foi anunciada a renovação com a "Puma", a parte mais enaltecida pela direção foi os "extras" - jaquetas, agasalhos, roupas de passeio, que realmente são muito bonitas - que seriam um diferencial da Puma. E agora? Isso não seria um "gato por lebre"? A Topper é marca esportiva, não tem "linha casual". Só a Adidas pode competir com a Puma nessa área. E como é que fica para o Grêmio? Eu ainda estou bem irritado com essa mudança. Acho que foi uma baita sacanagem da Filon.

Saludos,
Fagner

Lucas Machado disse...

Cara... eu tb não tenho nada contra marcas pequenas desde que elas pensem como grande e é isso que a Topper está fazendo, vide propagandas e patrocínios que ela encabeça. Agora, eu preferia essa versão aqui... http://plixi.com/p/64243954
Mas a outra que se ventila tb compro...
Abraço.!

Pedro Henrique S Kraemer disse...

As listras ficaram legais. Mas não aprovo as mangas de uma única cor.