segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

E agora, tchê?

A saída do Jonas é um assunto que vai render muito ainda.

Nesse momento pouco me importa se a culpa é de qual diretoria ou de que setor da torcida.

O Grêmio é um só ou existe o Grêmio do Odone, o Grêmio do Duda, o Grêmio da Social e o Grêmio da Geral?

Porra, se a gente ficar perdendo tempo no projeto cudum, aí sim teremos jogado fora mais uma oportunidade de voltarmos ao topo da América.

Time pra passar do Liverpool nós temos, mas o prazo pro Odone e Vicente nos darem chances reais de título tá se esgotando.

7 comentários:

Alexandre disse...

A questão é realmente essa, porém tanto a direção que assinou o contrato do Jonas com essa claúsula ridícula de liberação do passe quanto a de agora são extremamente incompetentes. O Antônio Vicente deve ser sumariamente demitido diante da sua incompetência, se ele continuar vai afundar o clube.

Na verdade temos ainda o Borges e o André Lima para o ataque, mas se um deles se machucar tamo fudido.

E o Jonas que vá tomar no meio do cú sujo dele. Pois ele tá saindo de propósito. Afinal o insano do Vicente ofereceu 600 kg de alcatre para ele e mesmo assim ele não quis.

Quando ele xingou a torcida já tava sabendo da sacanagem que ela havia feito e não tava nem aí para a torcida. Deve ser persona non grta no Olímpico e não pisar mais por aqui.

Josué Antonio disse...

Minwer e amigos,

Creio que isso sirva bem de lição ao Grêmio como um todo. A necessidade de uma renovação e de uma mescla de experiência com renovação (verdadeira, real, não como aquela prometida na campanha do Odone) é evidente.
São erros que se repetem na gestão de fulano ou de ciclano. Ou não se vê um padrão horripilante na saída de jogadores do Grêmio?
Eu me atrevo a dizer que ninguém quer jogar no Grêmio. Ou digo mais, todos querem jogar no Grêmio até surgir algo minimamente melhor. Ou ainda vamos acreditar no amor à camiseta?

Foram quantos jogadores que deixaram nosso clube nos últimos 4 anos em situações polêmicas? Perdemos o Roger, Felipe Mattioni, Maxi López, Jonas... Todos estes saíram de uma maneira, no mínimo, conturbada. Todos estes fizeram com que a torcida se sentisse traída, alguns em uma maneira menor (caso do Mattioni ou do Maxi López), outros causaram um maior descontentamento (Roger, Jonas). O Grêmio se recuperou, claro, e deve se recuperar outra vez, mas que fique claro que, enquanto não houver um remodelamento dos conselhos, dos setores e departamentos dentro da Azenha, vamos continuar perdendo jogadores com potencial para se tornarem ídolos e, continuaremos chutando bolas na trave ao que diz respeito aos títulos e troféus.

Precisamos cessar essa atitude de que "somos maiores que qualquer jogador"; não me entendam mal, o Grêmio é maior que qualquer jogador, é maior que Pelé e Maradona em suas melhores fases. Só que nenhuma direção é maior que um jogador. Eles não entram em campo, eles, pelo contrário, compram peças para que o Grêmio entre em campo. Se a direção (e o torcedor) continuar tratando essas peças com amadorismo, dentro de seus blazers que tentam demonstrar outro tipo de postura, nós continuaremos carentes de títulos.

Infelizmente, com todos os defeitos, o nosso co-irmão já entrou em um estágio diferente. Finalmente deixando o amadorismo. Giuliano, melhor jogador da Libertadores, foi vendido por 10mi de Euros. Jonas, artilheiro de um dos campeonatos mais difíceis do mundo, foi "vendido" por 10% deste valor. Sequer isso.

Perde-se tempo. Perde-se credibilidade. Perde-se postura. Perde-se liga entre torcedor e clube.

Se o Grêmio quiser reconstruir a liga entre torcedor e clube, deverá apresentar um nome que deixe a todos surpresos. Preferencialmente, que ignore as convicções do Renato e traga um castilliano. Precisaremos de alguém fluente em espanhol e com expertise de disputas em canchas argentinas e uruguaias se quisermos ser campeões. E que os conselheiros se unam, troquem idéias, convoquem reuniões extraordinárias ou que raios vocês possam fazer. Está na hora de se unir e conversar sobre o destino bem incerto do Grêmio como instituição competitiva. Cada vez mais viramos uma "ponte".

Paulo Roberto disse...

Alexandre,

Se a direção ofereceu isso, Jonas nos fez um FAVOR em recusar. IMPAGÁVEL!

Tarsis Salvatore disse...

Concordo integralmente com o texto. A Libertadores está ai e precisamos superar isso rápido.
Só espero que esses energúmenos aprendam com seus erros de forma RÁPIDA. Porque como foi dito aqui, com um mínimo de organização e competência, nosso co-irmão conseguiu nos igualar sendo menor em tudo, incluindo em torcida.

..... disse...

É o que resta, sem dúvida. É isso, ou cortar os pulsos. Vamos para ganhar a Libertadores APESAR do Odone. Tomara que o Renato ainda tenha coelhos para tirar da cartola. E muita paciência.

Saludos,
Fagner

Anderson disse...

PO fera, falou tudo...CUDUM nao, tem é que matar no peito esta bola quadrado e fazer dela um lançamento primorozo...vamos ver agora sim pra que o ODONE veio..e o martins? Sempre a mesma ladainha...nao vem ninguem pra reforçar, so cara de grupo e nada de se mexer...

Jefferson disse...

Eu acompanho este blog há muito tempo, bem antes do Minwer assumir o lugar do Bonatto. Mas não lembro de ter comentado ainda. Excelente tópico, mas cabe ressaltar uns fatos quanto ao Jonas. Quando renovaram o contrato dele, boa parte da torcida odiava o Jonas. Tinha gente que não comemorava gol dele. Eu particularmente não acho ele craque, mas Jardel era? Bom eu quero chegar na cláusula rescisória dele. Penso que não é culpa da Administração anterior. Pois na época ninguém imaginava que ele chegaria tão longe. Quanto que é a multa rescisória do Leandro? Quanto que pagamos por mês para aquele vagabundo? Então quando a direção determina uma multa alta, e o jogador não faz nada, temos que onerar nossas finanças e ninguém diz nada. Mas quando existe uma multa, ainda que baixa, num contrato que ninguém dava nada, aí é burrice? E tem gente ainda chateado pelo mercenário dentuço não ter vindo. Eu espero que seja explorado esse assunto, pois é só a imprensa amarga publicar uma coisa e tudo quanto é gremista pega pilha. Boa sorte ao Jonas. Rumo ao tri da copa. Abraço.