terça-feira, 1 de março de 2011

Vem e vai

A imprensa marrom está cada vez mais especulativa, atenta em torno do que vai ser do Clube dos 13 e a nova novela da Globo, "batendo o martelo" todos os dias para um lado diferente. Enquanto isso, dizem que o Magrão está de saída sim, faltando apenas passarem um pente fino no joelho dele além de mostrarem garantias de que tem pilas na guaiaca. E essa venda passa por duas coisas: pressão da imprensa encima de alguns cabeças fracas e por um real aproveitamento da base.

Querendo ou não, a dissolução do tal "time B" da beira do lago pode ter feito que alguns "pensadores" do futebol começassem a cobrar a posição da direção sobre promessas de mais de vinte anos. O argumento é velho: se passou dessa faixa, não vai mais ser craque, vai ser um meia boca. Particularmente, acho que apressado come cru - o Lúcio estourou no Grêmio com 27, estão investindo no Carlos Alberto com 26, o Escudero tem 24. Não existe essa necessidade de se desfazer dos "velhinhos", é apenas uma recauchutagem da velha máxima que Santo de casa não faz milagre (só o Portaluppi).

Por merreca ou não (eu acho que sim), pelo menos uma coisa parece estar fechando nessa história toda: é cada vez menor o número de "encostos" que ficam treinando nos dias posteriores aos jogos. Depois de detonarmos o Cruzeiro (não vi mesmo o "adversário de qualidade" que tanto se alardeia por aí), sete dos onze que entraram em campo contra o Canoas eram provenientes da base do Grêmio. O meio de campo foi formado por Fernando, Maylson e Emerson da base, mais o Vinícios Pacheco, os três mais novos que o Magrão, sendo que o filho do Mayl já é considerado veterano por muita gente. Ou seja, a venda, mesmo se der errado e o cara estourar (o que não é improvável), isso realmente parece fazer parte de um projeto. E eu prefiro errar sabendo onde estamos indo do que acertar sem saber por que.

4 comentários:

Douglas Dallago disse...

Quala duração do contrato dele hoje? Se não for vencer a curto prazo, eu pensaria melhor em empresta-lo! Sim, porque, no Grêmio dificilmente jogara, então no curithia tera ritmo de jogo e caso ele joga muita bola , volta a repor grupo, caso não joga tudo oque sabe sem problem a, 3 milhoes nao iam saldar dividas nem trazer grandes reforços.

Jorge disse...

Realmente...
O exemplo do cocô-irmão está aí, não dá pra inflar o grupo com eterna promessas

E outra, o Magrão deve ter feiro uma pressão pra ser negociado, pois corria o risco de ser um eterno reserva no grêmio

RicardoMello disse...

Concordo. Não acho que o Cruzeiro tenha sido um 'adversário de qualidade'. Tudo que eu vi no jogo, em termos de dificuldade pro Tricolor, foi a repetição de MUITOS dos erros que resultaram em nossa derrota na Colômbia. (Como os gols de bola aérea, C. Alberto jogando pouco e o GILSON furado, só pra citar dois exemplos).
De fato, Renatão chegou a comentar que viu problemas como esses no jogo (apesar de continuar defendendo o tal do Gilson). Resta torcer pra que o Santo consiga resolver, pra que volte LOGO o time que estava moendo todo mundo ano passado.

Fagner disse...

Caros, dá para dizer agora: deixa para lá. O Corinthians saiu da negociação. Especula-se que foi por não poder dar garantias de pagamento - algo já faz muito tempo feito pelo Clube dos 13.

Ao "seu" Sanchez: a língua é o chicote do cu.

Saludos,
Fagner