sexta-feira, 29 de abril de 2011

La CANCHA de tu madre

Eis que perdemos a primeira partida de LA'11 em casa.
Muitos colocaram a culpa no juiz, outros em Renato, outros em Borges e outros na Direção.

A verdade verdadeira é que o Grêmio está sem BOLA, sem CANCHA, faz uma cara. Já escrevi algumas vezes que aquele futebol do final de 2010 ainda não havia sido retomado. Que a MARESIA do RJ parecia ter embaralho os pensamentos de nosso SANTO.

Perdemos jogadores importantíssimos que arrumaram a engrenagem Imortal do ano passado. Tínhamos um MATADOR no ataque. Era contestado de vez em quando, mas estava lá nos momentos de decisão. Viramos o ano e esse mesmo matador arrumou outro parceiro, André Lima. Havia uma sincronia bala entre os dois.

Nosso zagueirão também se foi. E, quem diria, temos um lateral esquerdo pior do que tínhamos ano passado.

Estamos com MUITOS desfalques. Até nossa muralha está no DM. O SANTO está quebrando a cabeça pra fazer o time voltar a ser o que era. Detalhe: SEM AS MESMAS PEÇAS.

Milagres e surpresas no futebol acontecem ATÉ ALI. Em todos os títulos do Grêmio, sejam eles nacionais, continentais ou mundiais, apesar de terem sido sofridos, o time tinha BOLA, CANCHA, CATIMBA... LA BUENA CANCHA.

Mas é o seguinte, indiada, não adianta ficar se lamentando. Temos que erguer a cabeça e seguir em frente.
Tem uma música que gosto muito que fala assim:

(...)
Pois quem herda a procedência
Do nobre sangue farrapo
Só morre queimando trapo
Peleando pelas ladeiras(...)

Tá foda? MUITO! Desistiremos? JAMAIS!
Enquanto o juiz não apitar, estaremos contigo, Imortal Tricolor.

OBS.: O título do post é um trocadalho do carilho, ok? Antes que alguém me mande estudar espanhol. ;)

6 comentários:

G Vermes disse...

Cara, desculpe dizer mas mas tu está te lamentando. Sinceramente cansei de ouvir sobre o Jonas, jogador mediano obstinado.

E falar que perdemos nosso zagueirão?! Como se o o Paulão fosse unanimidade e te digo que acompanhei o blog e vi muitos comentários chamando-o de naba e sempre pedindo o Mário.

Não sejamos hipócritas. Não sejamos ressentidos. Contratamos um cara que joga mais que o Jonas, é rápido e direto e tem que mostrar serviço. Bota o gringo pra jogar carajo!

Lembro no inicio do ano passado o MESMO grupo do final sendo um timeco, e lembro bem do Jonas em entrevista dizendo que não sabia o que acontecia, pois treinavam treinavam sentiam-se bem mas os resultados era péssimo.

Depois o MESMO grupo fez aquilo lá e estamos aqui. Como as MESMAS peças pode ter reagido tão diferente? Esta é a pergunta. E chega de lamentação. Mas que barbaridade!

TiagoR disse...

"Mas é o seguinte, indiada, não adianta ficar se lamentando. Temos que erguer a cabeça e seguir em frente."

É isso.

Menezes disse...

G Vermes,

Tu leu TODO o post?

roque disse...

É isso aí. A torcida vai ter que fazer a diferença. Está dificil, ainda mais com os pavões que estão na diretoria pensando mais na sua plumagem do que no clube. Afinal, discurso e presença na midia sem jogadores não ganha jogo. Mas o negócio é fazermos uma corrente positiva para ganharmos o gauchão e seguirmos na libertadores. Dá-lhe Grêmio.

G Vermes disse...

Li sim Menezes.

No fim tu diz que não adianta ficar de lamento... depois de lamentar as perdas. É como outro gremista que discutimos que disse "não larguei o time de mão, mas o Grêmio não vai longe" Então tchê, largou sim de mão.

Não largar de mão é acreditar. Não se lamentar é seguir em frente as perdas. É de maneira radical que eu penso, admito. Mas de politicagem estou (estamos?) cheio.

Não me leve a mal.

Menezes disse...

Vermes,

Não lamentei, apenas apontei a situação atual. Eu sei que é muito ruim ouvir de outra pessoa que a realidade é muito pior do que aparenta ser. Mas sou assim, brother. Falo o que acho. "Duela a quem duela". Aliás, se tivesse escrito esse post há alguns dias, não teria colocado esse "Erguer a cabeça e vambora" no final do post.

Como disse, o futebol é mágico e surpreendente até certo ponto. Quando os problemas estão gritantes aos olhos, não adianta querer se iludir.

E volto a dizer: vambora! Só morreremos queimando trapo.

Forte abraço, chê.