terça-feira, 17 de maio de 2011

Recobrando a razão

Perder sempre é ruim, ainda mais em casa. Então não vou vir com aquele papinho de "foi melhor perder". Preferia ganhar o título e ver a direção ter consciência que o elenco tem difculdades. Sinceramente, creio que ainda não provamos ter onze jogadores confiáveis para serem tachados de favoritos a algum título. Muito menos banco para mudar o panorama de alguma partida decisiva. Mas sou obrigado a dar o braço a torcer ao Sandro: isso não iria nunca acontecer. Então, isso diminui um pouco a minha raiva e tento me trazer novamente à razão.

Razão esta que, ao que parece, anda em falta pelos lados tricolores ultimamente. Salvo um ou outro caso, o que mais se vê são doideiras das mais variadas. Por um lado do dirigente que valoriza o clímax da desorganização de ter que ser obrigado a ver o seu clube decidir um campeonato de segunda divisão na última rodada, depois de contratar quase setenta jogadores, ter um time inteiro (dos titulares ao banco) trocado em cada três jogos e de sofrer empates ridículos pela prática de um futebolzinho medíocre que fazia um gol e se retrancava para fazer o tal "meio a zero", levando gol de centroavante de um metro e meio. Isso não é justificativa para derrota, nem mesmo serve de consolo. A direção colocar as esperanças no Sobrenatural de Almeida para o Grêmio ser campeão é de matar.

Porém, de outro lado, existem aqueles "torcedores" que dizem, aos quatro ventos, que mandar cicrano ou beltrano embora vai melhorar o time. O time só vai melhorar se contratarem jogadores melhores, só tirar não resolve nada. E aí é que a coisa fica difícil. Tem que ter muita criatividade para fazer isso, é um processo que exige paciência e um pouco de sorte. E a principal insanidade que tenho ouvido é a imbecilidade que o Victor é o melhor goleiro do Brasil, mas arrega em Grenada. Ou, pelo menos, é azarado. Que o Danrlei era pior que ele, mas fechava o gol quando enfrentava os vermelhos. Então tá, foi o Victor que tomou cinco gols em um jogo só contra eles no Olímpico. Foi culpa do Victor ninguém estar marcando o meia deles e, pior ainda, quando um lesionado que mal pisava no chão conseguiu pegar uma bola de primeira e colocar no seu contra-pé. Ah, foi azar? Tomar um gol de um pereba ponta direita que não tinha um só neurônio na final do ruralito de 97 num contra-ataque aos 49' do primeiro tempo foi sorte do Danrlei?

Recobrar a razão é decretar a morte o tal Sobrenatural de Almeida. Chega de Batalha dos Aflitos, chega de jogador azarado. A hora é de trabalho sério, com bons reforços para o time, e relaxamento da marcação da torcida em relação aos jogadores do Grêmio. Chega de inventar que o Fábio Santos e o Jonas são umas nabas que precisam ser vaiadas para irem embora do Grêmio. Se a direção errou ao não trazer os reforços que eram necessários para o nosso primeiro semestre, ou o Borges perdeu um pênalti na final do segundo turno, a torcida errou muito mais ao gritar olé com vinte minutos de jogo em uma final de um campeonato. Menos papo e mais trabalho são os remédios para o nosso problema.

10 comentários:

Fabiane disse...

É verdade... o problema maior não foi nem o Sr. Oba Oba, nem o tal do salto alto. O maior problema do Grêmio tem sido essa "máscara da Imortalidade", que já passou a tempos da hora de cair!

Fantinelli disse...

Não sei se concordo com tudo que li, mas acho que o primeiro passo é mandar embora sim, mandar embora a direção que está vendo tudo cair e não faz nada. Fora Odone!

TiagoR disse...

Mestre. Não troco uma vírgula pra assinar embaixo.

Adriano disse...

Concordo absolutamente com tudo que foi escrito.
Chega de usar imortalidade como amuleto, de em toda final ter que apelar pra mística, precisamos sim como já foi dito de um time que meta medo e seja respeitado pelo elenco e não por ser "sobrenatural".
Como Gremista ainda tenho fé na consciência da diretoria e que não são apenas funcionários do clube, mas que sejam também torcedores fanáticos pois está é, na minha opinião a melhor mistura para um clube.

Pablo disse...

Assino embaixo 200%. O pior é ouvir os pseudo-gremistas criticarem o Victor ultimamente. Tem muita coisa errada nesse time, e com certeza, o Victor é uma das últimas preocupações. Até mesmo o alemão Adílson, que apesar de seus altos e baixos, veste a camisa mais do que todos os outros. É gremista até debaixo d'água... O nosso problema são os Clementinos, Gilsons, Lins da vida... E, principalmente ao meu ver, a falta de calma e paciência pra definir os jogos. Jogamos melhor que os vermelhos todo o tempo, e mesmo assim não tivemos a calma necessária pra matar o jogo. É só ver os pênaltis... E boa parte é culpa da torcida, que pressiona demais, talvez pela abstinência, talvez pela mudança de formato da torcida, de qualquer forma, é preciso apoiar nas quatro linhas, e criticar na hora certa. E os responsáveis, não achar aleatoriamente, entre os bons, culpados por bobagens.

RicardoMello disse...

Não dá mais. Eu evitei fazer isso desde a derrota por TRÊS que tomamos do PATROLERO. Mas, apesar de não querer, vou ter que deixar de ser sócio do Grêmio. É a única maneira de protestar contra essa direção que está se superando absurdamente nas patetices. Eu falo com amigos e vejo pela internet que vários gremistas tão fazendo o mesmo. Eu acho uma pena pro meu clube, mas o momento urge uma manifestação mais forte da torcida. E, na minha opinião, não adianta ficar gritando do lado do portão do Monumental. É quando eles sentirem no bolsinho deles é que, quem sabe, vão sentir o cutuco e se mexer pra mudar MESMO alguma coisa.
Ou ninguém mais se lembra que o nosso TIMAÇO que disputou a libertadores e as finais do gauchão não era - na gestão do Duda - nada mais que um REMENDO TEMPORÁRIO praquela situação de meio de Brasileirão?
(Não seu AVM, me desculpa, Carlos Alberto não me faz eu me sentir melhor. Nem Rodolfo que praticamente veio pra vaga de Paulão, muito menos Escudero que só foi aproveitado - JUSTAMENTE - no jogo em que metemos três neles).

Roger disse...

Concordo, sem investimentos e jogadores de qualidade não tem com sair da nossa fase.

Só uma observação, não sei se a parte "foi o Victor que tomou cinco gols em um jogo só contra eles no Olímpico" é uma referência ao Danrlei, como se ele tivesse levado os cinco gols. Se for, está errada, o Danrlei foi expulso ainda no primeiro tempo deste jogo.

Abraço.

Arthur disse...

Só acho que nada seria usado para contratações se o título viesse.

Também acho errado gritar Olé, independente de que jogo seja, contra quem seja e quanto tempo seja, olé é o melhor jeito de machucar jogador.

Agora o Sr. Odone disse que gastará 45 milhões de reais para contratações, será que irá gastar um terço disso?

Fagner disse...

Roger, tem razão. Era para ser uma referência ao Danrlei, mas ele não jogou o jogo todo. Porém, não existiu essa expulsão. Ele alegou uma lesão muscular quando o jogo ainda estava 1x0. Deve ter sido o azar.

Saludos,
Fagner

H. Contábil disse...

Tchê, até que enfim alguém escreve com coerencia. Muito papo, muita besteira, e muita encheção de saco! O Vitor é um baita goleiro, o Rock é um baita volante e o Douglas é um baita meia. O resto, no Gremio, é resto... Precisamos de jogadores, e menos discurso. Reclamam do Douglas... então põe o Mailson no time... reclamam do Vitos, encarem um brasileirão com o Groe (q não é mau goleiro, só não é o goleiro da seleção), e tirem o Rock e coloquem o Fernando... parem de reclamar dos melhores... vamos ter coerencia. Parabéns pelo post.