terça-feira, 2 de agosto de 2011

Pelaipe

foto: Vinicius Rebello

O ano até aqui tem sido uma MERDA GIGANTE pro Grêmio. Nada até agora deu certo, por inúmeros fatores já EXAUSTIVAMENTE falados aqui no blog. E creio que muita gente não gostou da contratação do Paulo Pelaipe pra dirigir o futebol tricolor. Convenhamos, há motivos de sobra pra isso.

Entretanto é difícil, pra não dizer quase impossível, largarmos o Grêmio. Ele muitas vezes nos trata mal, nos aborrece. É como um amor não correspondido. Mas mesmo assim, como um CORNO MANSO, seguimos juntos, independente de tudo.

Ou seja, lá vamos nós de novo. Paulo Pelaipe, apesar dos pesares, e isso temos que reconhecer, é um cara que entende de futebol. Assim como o Pedalado. E ambos cometem erros, mas acertam também. Pelaipe trouxe Victor, Réver, Teco, Lúcio (que hoje é uma caricatura do bom e velho Lúcio), William e mais uma penca de jogadores que deram certo no Olímpico. Isso é inquestionável. Mas ele também trouxe Luciano Marreta, Tuta, Kelly e Amoroso.

Confesso, gostei da sua entrevista. E ela condiz com o que venho ALERTANDO aqui no Blog: precisamos resgatar o bom e velho estilo Grêmio de jogar. Concordo com o Pelaipe no que tange aos últimos resultados. É inadmissível empatar com o Avaí e com o América em casa.

E antes que me TAXEM de corporativista e defensor do Odone, que fique claro: a cobrança continua e será cada vez mais forte. Porém, temos que pensar no bem maior, que é o Grêmio. E o Grêmio voltando ao trilho é o que todos querem. Juntos somos mais fortes que os outros. E juntos precisamos ficar. Deixem que as URNAS cuidarão do Odone.

6 comentários:

Alexandre disse...

Concordo Snel! A questão política é muito pequena perante a iminente queda à segundona. Eu sinceramente não dou a mínima para política, muito menos a de clube de futebol, e não consigo entender porque um clube precisa ter 300 CONSELHEIROS????

Para ficarem mandando torpedinhos uns aos outros para derrubar esse ou aquele(aliás isso é coisa de viadinho), e divididos nos seus inúmeros grupelhos que dividem o clube como se fosse um bolo.

O momento é de apoiar o Pelaipe e o Julinho, e basta. O outro que se dizia Diretor fez o Odone pagar mais um mico ao anunciar a contratação do Wellington Paulista, tinha mais é que ser sumariamente demitido por tamanha incompetência.

Felix disse...

Mais do mesmo. É como andarmos em círculo. São medidas paliativas que podem dar certo por um tempo.
Infelizmente não existe Gestão no Grêmio e sim briga pelo poder. Falta mesmo um Executivo literalmente, que faça a Instituição Grêmio crescer por saber lidar com pessoas, processos e que saiba que o sucesso dele depende de como levar essas pessoas a atingir seus objetivos e metas traçados. Enquanto o Grêmio for tratado como trampolim político não posso esperar nada.
Só me resta torcer.

Abraços
Felix

Arthur disse...

Gostei.
Foi um dos poucos que teve coragem de dizer que o Grêmio não tem zaga, meio e ataque.

Pior que o AVM, quase impossível.

DM disse...

Pra mim, o dicurso dele foi muito marketeiro. Parece até que andou dando uma lida nos blogs gremistas pra saber o que falar e como acalmar a torcida. Mas, enfim, se souber pôr isso em prática, tem o meu voto de confiança. Embora eu ainda ache que o problema do Grêmio não se limite à falta de brio nos jogadores, mas principalmente de neurônios em quem os comanda.

Stivie disse...

Se o Grêmio voltar as origens,já melhora. Entrevista coerente a dele,como todo dirigente comete erros,mas tá longe de ser dos piores que por aqui já passaram,não entendi a crítica no inicio do texto ou talvez esqueci as merdas que o cidadão possa ter feito no passado,porém pior que LUIS ONOFRE MEIRA e ANTONIO VICENTE MARTINS ele não é. O Odone errou demais esse ano,mas acertou ao demitir toda aquela corja(vices,diretores e mercenários). Antes tarde do que nunca,o que resta é não cair e ano que vem montar um time DECENTE e com CARA DE GRÊMIO.

eduardo disse...

Menos papo e mais trabalho.