segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Como a aurora precursora




Que final de semana, hein?

Fomos a Floripa, encarar o "Lião" da Ilha e demos um chocolate. Foi minha primeira incursão na Ressacada e mantive meu bom retrospecto longe do Monumental (3v 1e 1d). Mas antes de falar do jogo, fica aqui um elogio sincero a hospitaleira torcida avaiana. Foi a primeira vez que pude andar com a camisa do Grêmio NO MEIO da torcida da casa sem ouvir um "ai" ou me sentir ameaçado. Um belíssimo exemplo de civilidade.

Sobre o jogo em si.

Victor foi fundamental no primeiro tempo. Não fosse por ele, teríamos sofrido uns dois gols antes do intervalo e a história do jogo seria muito diferente. Gostei bastante do Adílson, parece estar retomando o futebol pré-Copa, quando calou a boca de muitos críticos (eu inclusive).

Quem ainda tá devendo é o Souza. Tem me chamado muito a atenção a pouca participação dele nos jogos. Parece que ele sabe que a fase não é boa e tem se escondido um pouco do jogo. Douglas tem feito o contrário. Pode não fazer um bom jogo (vide contro o Palmeiras), mas não peca por omissão.

O golaço do Jonas é algo pra guardar na memória e contar pros filhos. O gol, além de humilhar os três defensores avaianos, enervou os donos da casa e abriu o caminho pra segunda vitória consecutiva fora de casa.

Com 2-0, só se ouvia a torcida tricolor em Florianópolis, mesmo com a ausência da banda da Geral.

Hoje bem cedo o negócio foi encarar a BR101 pra chegar a tempo de participar da festa do lançamento da pedra fundamental da Arena. Uma única palavra pra descrever: I N E S Q U E C Í V E L.

Postei diversas fotos no meu twitter e pra vê-las é só clicar aqui. Não são as melhores pois foram feitas com o celular, mas isso não importa. O que vale é que a maior e melhor torcida mais uma vez deu um show. Tomou conta das ruas e criou um mar azul no terreno da Arena. Alguns setores da imprensa falaram em 5mil, mas tenho certeza que tinha quase (se não, mais) que o dobro disso.

Odone levantou a torcida e Duda foi muito feliz em lembrar da nossa história. História essa representada pelos grandes De Leon, Yura, Alcindo, Tarciso, Mazaropi... Faltou o Renato, mas sua ausência até é compreensível pois ele roubaria a cena, além de estar atarefado demais com o time (se não me engano, teve treino à tarde).

Mas a imagem que não me sai da cabeça é o sorriso de satisfação do Adalberto Preis. Um homem que batalhou como poucos pra que o dia de hoje fosse exatamente como foi.Parabéns, Preis! Parabéns, Duda! Parabéns, Odone e Antonini. Parabéns, Alexandre Aguiar e tantos outros gremistas que trabalharam anonimamente pra que essa dita Arena de Papel se transformasse numa Arena de Concreto.

Que essa bela festa seja como a aurora precursora, de façanhas memoráveis.

2 comentários:

luis disse...

A IMPRENSA VERME 69 ESTA murcha . OS COCOLORADOS ESTAO RAIVOSOS , CIUMENTOS , COM DOR EM TODAS AS ARTICULACOES do corpo . BASTA ver nos BLOGS por AIIIIIIIIIIIII . ( ACUSARAM E MUITO O GOLPE OK ) .

lucas disse...

Ótimo texto!! quando volta pro GE??