domingo, 27 de março de 2011

Seguindo com a média

Mais um jogo para mostrar que, no Ruralito, todos querem jogar uma Copa do Mundo contra o Grêmio. O Pelotas começou marcando com muita vontade e encontrou um juiz que colabora muito nesse tipo de combate. O tricolor, mais uma vez, não começou tão rápido quanto o adversário, apostou na maratona. Fomos melhores defensivamente, mas não levávamos perigo no ataque.

Deu para ver como andam alguns ex-tricolor, como o Carlos Gavião, campeão da Copa do Brasil de 2001, e o Makelelê, para alegria do Tito (desculpa, não pude deixar passar essa...). O Makelelê foi o de sempre. Muita vontade, muita correria e muito pouco futebol. E o Gavião já foi melhor no Pelotas em outros tempos. Seguimos com a sina de tomar gol do Sandro Sotilli. Até acabar o gás do time adversário.

No segundo tempo, dominamos as ações e, com paciência, furamos a defesa e fizemos nossos três gols. Destaco positivamente principalmente o Douglas que, mesmo em um jogo apagado, errou poucos passes (contei uns três), da mesma fora como foi contra o Coloradinho, e deixou o Lúcio na cara do goleiro em um lance espetacular.

Finalmente, gostaria de destacar como muito boa a entrevista do Antônio Vicente Martins sobre a polêmica participação do Renato no torneio de Futivôlei. Sei que tem muita gente (como o Tiago) que gostaria que ele não participasse, por motivos diversos. Eu, particularmente, não vi problema nenhum desde o início. Mas a maneira como o tricolor tratou o episódio foi exemplar: não é um prêmio, não é uma concessão da direção em troca do comparecimento do técnico nos jogos no interior, não é desrespeito do técnico. Trata-se de uma ação de marketing para levar a imagem do Grêmio para um horário onde quase nenhum time aparecerá. E, sendo o Renato um cara polêmico, todo o mundo vai ver seu jogo nem que seja para secar. E ponto. Fica bem difícil para a imprensa criar caso depois disso.

Agora é o Juventude.

4 comentários:

Arthur disse...

Sinceramente, achei o Douglas sumido no jogo, que nem o argentino... Lúcio jogou bem, depois do 2º gol.

Borges não está jogando nada e o André vai fazer muita falta. Leandro vai ser o Carlos Eduardo v2, mas nessa vez vai conquistar o TRI da América. Gabriel se continuar assim, tem que sair do time para a entrada do Fujão... O Alemão foi bem, o Magrão foi que nem no Caxias, só fez o gol. Gílson fez falta, daría mais emoção no jogo, num tinha um Gílson pra perder a bola, errar passes frequentemente. Dá pena do Gílson, ele é ruim e azarado...

Como sempre, a bola parada foi a solução, e aos aterrenses, somente digo: pelo menos temos uma solução.

Bruno Ilha Cirolini disse...

tb nao vejo problema no Renato viajar pro futvôlei..a imprensa, especialmente akele Gabardo da Gaucha.

vai ser uma boa maneira de expor a marca Grêmio em outro lugar..alias o Renato tinah que jogar com roupa do Grêmio, ou colocar uma camisa depois do jogo hehe

Tito disse...

Em minha defesa sou obrigado a me valer dos comentários qualificados no post hehehe. Naquele time em que jogou Makelele 60% era entrega e dedicação. A qualidade ficava a cargo de Tcheco e Souza.

TiagoR disse...

Eu não acho que o Renato no RJ seja bom pro marketing. Isso quem faz é a diretoria, a agÊncia de PP, os blogs, a torcida fanática... ele lá é fanfarronice. Até porque, não existe marketing que suporte uma derrota que possa ser usada pela imprensa e/ou torcida como resultado direto da trip dele pro RJ. Cai a casa, é desnecessário. Mas enfim, não vou ficar me repetindo. Disconcordo respeitosamente da opinião de vocês ;)